best365体育投注英超_首頁(欢迎您)

<code id="yr0pe"><rp id="yr0pe"><table id="yr0pe"></table></rp></code>
    <track id="yr0pe"><strike id="yr0pe"><ol id="yr0pe"></ol></strike></track>

    <pre id="yr0pe"></pre>
    <output id="yr0pe"></output>
    <tr id="yr0pe"></tr>

      <pre id="yr0pe"></pre>
    1. Combater a pobreza com precis?o, uma grande contribui??o da China à Humanidade

      Fonte: Diário do Povo Online    15.10.2020 08h53

      Por José Medeiros

      A quest?o da extrema pobreza é sem dúvida um dos problemas mais antigo, mais inquietante e mais doloroso da humanidade. Por isso mesmo, a política de combate a pobreza com precis?o, elaborada e conduzida pelo presidente Xi Jinping, é dos maiores feitos da China em todos os tempos e uma grande contribui??o para os povos. Essa conquista, além de beneficiar o povo chinês, serve também de inspira??o para os diversos povos do mundo, principalmente por seu aspecto conceitual inovador e a sua viabilidade prática. Além do mais, a China dá o exemplo de que quando há realmente determina??o para enfrentar grandes desafios e se mobiliza adequadamente pessoas e recursos grandes feitos podem ser realizados.

      Essa conquista da China pode ser melhor dimensionada se considerarmos que mesmo possuindo uma popula??o de 1,4 bilh?o, o país conseguiu realizar com 10 anos de antecedência duas das tarefas mais importantes estabelecidas para 2030 pela Organiza??o das Na??es Unidas nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Observe-se que dos 17 objetivos propostos pela ONU, a erradica??o da pobreza e da fome est?o justamente entre os dois primeiros.

      A política de reforma e abertura iniciada nos finais dos anos 70 abriu um novo capítulo na história da China. Nessas últimas quatro décadas de crescimento econ?mico, mais de 800 milh?es de chineses saíram da pobreza. Para termos uma melhor ideia do que representa esse número basta lembrarmos que atualmente toda a popula??o dos 12 países que formam a América do Sul é de pouco mais 400 milh?es.

      O 18o Congresso do Partido Comunista da China realizado em novembro de 2012, que elegeu Xi Jinping para Secretário-Geral do Partido, fez quest?o de enfatizar em seu relatório que a prosperidade comum é um dos elementos básicos do socialismo com característica chinesa. Em outubro de 2017, no discurso de abertura do 19o Congresso, o presidente Xi coloca a quest?o da elimina??o da pobreza como uma das prioridades máxima: “é um compromisso solene feito por nosso Partido que a popula??o carente e as zonas empobrecidas entrem, junto com o resto do país, em uma sociedade moderadamente abastecida em todos os aspectos. Devemos mobilizar as for?as de todo o Partido, de todo o país e de toda a sociedade para persistir no alívio e erradica??o da pobreza com precis?o.”

      Na prática, desde que Xi assumiu o comando do país em novembro de 2012, resolver a quest?o da pobreza para que se alcan?ar uma prosperidade comum passou a ser uma das suas principais prioridades, ou qui?á até mesmo a sua prioridade máxima. Por isso mesmo, ele passou a se empenhar pessoalmente nesse combate, n?o apenas no plano prático, mas também teórico. Assim, em 2013, em uma visita à província de Hunan, província natal de Mao Zedong, o presidente Xi trouxe à luz o conceito de "combate a pobreza com precis?o". O conceito surgiu como resposta a um desafio real, quando ele observava que por mais que o país se desenvolvesse e ficasse rico, caso n?o houvesse um esfor?o específico e direcionado para resolver a quest?o, os bols?es de pobreza tenderiam a continuar. Ele também observava que as abordagens tradicionais de ajudas e subsídios, isoladamente, se mostravam insuficientes. Ou seja, para realmente enfrentar o problema de forma exitosa era necessário inovar também a forma de compreendê-lo e abordá-lo. Além do mais, na vis?o de Xi, sem a solu??o desse problema a meta para se construir até 2021 uma sociedade moderadamente próspera, parte fundamental do grande sonho do país de revitaliza??o da na??o, n?o seria satisfatoriamente atingida.

      O conceito proposto por Xi Jinping é bastante inovador porque condensa em si uma orienta??o geral de como se proceder efetivamente para a constru??o de solu??es eficientes e duradouras. O conceito enfatiza também que é preciso uma compreens?o acurada e profunda do fen?meno da pobreza dentro e cada realidade específica e determina que é fundamental um acompanhamento preciso sobre os beneficiários, o uso dos recursos, a elabora??o de projetos, a aplica??o das medidas direcionadas às famílias carentes, os quadros dirigentes responsáveis e os resultados. Dito de outra forma, temos no referido conceito um mapa detalhado de como se deve proceder para que o êxito na elimina??o da pobreza seja alcan?ado e, assim, as famílias possam aproveitar a ajuda e as oportunidades geradas pelo governo para, com as suas próprias for?as, criarem um dinamismo de vida cada vez mais próspero.

      Apenas para ilustrar a complexidade desse tema, fa?amos um pequeno parênteses. De acordo com uma matéria publicada pela BBC Brasil no dia 2 de agosto de 2020: “Mais de meio século depois que o presidente Lyndon B. Johnson declarou "guerra incondicional à pobreza", os EUA ainda n?o descobriram como vencê-la” (...) “Isso significa que quase 40 milh?es de americanos vivem abaixo da linha oficial de pobreza”. (Gerardo Lissardy, correspondente da BBC em Nova York). Tomando por exemplo os EUA, o país como o maior índice de pobreza no mundo desenvolvido, a reportagem revela principalmente que n?o basta ser um país ser rico, desenvolver programas assistenciais ou até mesmo ter boas intens?es para que esse problema seja realmente superado. Isso refor?a mais ainda o valor da conquista chinesa.

      Em setembro de 2007 eu deixei o Brasil e vim morar na China, em Xi’an. E nesses quase trezes anos tenho testemunhado diretamente grande parte dessas mudan?as. Particularmente, já consegui visitar praticamente todas as regi?es administrativas da China, tanto grandes centros urbanos como pequenas aldeias rurais remotas. Lembro-me que naqueles meus primeiros anos a infraestrutura ainda era o foco de desenvolvimento do país. Porém, especialmente nas áreas rurais mais remotas, as pessoas pareciam viver muito distante dos benefícios desse desenvolvimento.

      Em julho do ano passado, depois de mais de seis anos, voltei a visitar novamente aquela regi?o onde passei os meus primeiros anos. E a mudan?a era realmente surpreendente. Pessoas antes praticamente isoladas estavam agora interconectadas por avan?adas redes de transporte, servi?os e comunica??o. O desenvolvimento agrícola era visível e atividades econ?micas antes quase inexistentes, como o turismo rural e um comércio local conectado ao restante do país, agora já s?o bastante comum. Certamente, essas mudan?as s?o em parte resultado das diversas medidas adotadas por essa política de comandada por Xi Jinping de combate a pobreza com precis?o. Isso transforma positivamente a dinamica de diversas comunidades e proporciona aos seus moradores um complemento de renda inimaginável no passado recente.

      Há cinco anos vivendo na província de Zhejiang, é comum visitar com a minha esposa regi?es rurais para colhermos frutas, sentirmos melhor a natureza e apreciarmos sabores locais originais. Também é muito comum comprarmos pela internet, de diferentes regi?es do país, diversos outros produtos alimentícios vindos diretamente do pequeno produtor rural. Aqui compartilho uma história pessoal: depois de muito tempo na China, descobrir que na montanhosa regi?o aut?noma de Guangxi eu poderia encontrar um dos produtos preferidos no meu café da manh? no Brasil, a mandioca. Esse é um produto muito comum na base da alimenta??o de grande parte da popula??o brasileira, principalmente no norte e no nordeste, a regi?o onde nasci. Essa descoberta reativou as minhas memórias afetivas e certamente tornou bem melhor a minha vida. Também me fez perceber que o povo chinês, n?o importa onde viva, está cada vez mais interconectado e, consequentemente, se passa a se beneficiar cada vez mais das vantagens trazidas pelo desenvolvimento do seu país. Assim, apesar das muitas adversidades, é visível nos mais diferentes rinc?es o aumento da prosperidade, assim como a melhoria do padr?o de vida das pessoas, das crian?as aos mais velhos.

      Na verdade, desde a antiguidade, a civiliza??o chinesa tem dado grandes contribui??es para o conjunto da humanidade. Além do seu pioneirismo na cria??o do papel, pólvora, impress?o e bússola, as famosas quatro grandes inven??es, produtos como o chá, seda e porcelana conseguiram a proeza de atravessar os séculos fascinando o imaginário dos mais diferentes povos. A Grande Muralha, o Grande Canal da China e o Sistema de Irriga??o de Dujiangyan, todos reconhecidos pela UNESCO como Patrim?nios Mundiais, s?o alguns bons exemplos da capacidade do povo chinês de realizar grandes proezas de engenharia para se proteger de amea?as e alavancar o seu desenvolvimento interno. Essas realiza??es, assim como um profundo legado filosófico de pensadores como Confúcio, Mêncio, Laozi, Zhuangzi, Mozi, Sunzi, Han Feizi e tantos outros que continuam a influenciar o mundo moderno, s?o uma prova incontestável da for?a civilizacional da China e da capacidade de realiza??o do seu povo. E no tempo presente n?o tem sido diferente, como se pode observar com essa grande conquista no combate a pobreza.

      Apesar das adversidades atuais devido a pandemia do Covid-19, as duras enchentes no sul do país e algumas adversidades no cenário político externo, a China tem tudo para se manter confiante. 70 anos depois da funda??o da República Popular da China, o povo chinês sob a lideran?a do Partido Comunista e do presidente Xi Jinping está finalmente vencendo sua grande batalha contra a pobreza, um dos anseios mais antigos da na??o chinesa. Grandes feitos humanos como esse só tem sido possível porque um dos principais propósitos do Partido tem sido sempre servir e melhorar a vida do povo.

      José Medeiros da Silva, doutor em Ciência Política pela Universidade de S?o Paulo, é professor na Universidade de Estudos Internacionais de Zhejiang. 

      (Web editor: Renato Lu, editor)

      0 comentários

      • Usuário:
      • Comentar:

      Wechat

      Conta oficial de Wechat da vers?o em português do Diário do Povo Online

      Mais lidos

      best365体育投注英超